Tubarões de Água Doce

Maurílio, também conhecido como Magrão, abriu a janela do quarto sem nenhuma pressa. Anda logo, cara. Era André, o pedreiro. Magrão esfregou os olhos, passou depois a mão na cabeça e só então perguntou o que ele queria.  Tem um trabalho ali, tô precisando de ajuda, cê tá afim? Magrão precisava de grana, mas sabia... Continuar Lendo →

O Reflexo

A menina era problema. Ninguém mais sabia o que fazer. Quinze anos apenas. Na época estava suspensa das aulas, envolvida com umas pessoas suspeitas. Diziam que andava fumando maconha às escondidas, dentre outros entorpecentes mais pesados. Diziam de tudo pelo bairro. Logo logo aparece prenha, diziam uns. Ou morta, sentenciavam outros. No bairro todos sabiam... Continuar Lendo →

Ferruge

Lembra do Ferruge, mano? Trombei ele ano passado. Ou foi retrasado, não me lembro direito quando foi. Sei que fazia um sol desgraçado: o calor do asfalto faltava derreter a botina. E ainda subir tudo aquilo com aquela bicicleta arrombada. Porra, vai se fuder! Época difícil do caralho! Aí o Ferruge surge do nada, tava... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑