Um Alguém Apaixonado

Abbas Kiarostami, 2012 Em Um Alguém Apaixonado o tema que prevalece é a violência. O filme parte da disputa entre dois homens, um velho e um novo. Da primeira vez que vi pensei na moça como o tema central da disputa, mas depois percebi que eles não dão a mínima pra ela, são ambos vaidosos,… Continue lendo Um Alguém Apaixonado

Cópia Fiel

Abbas Kiarostami, 2010 Cópia Fiel parece mergulhar na neurose européia, ou no modelo europeu de viver e entender a vida, sempre de mãos dadas com sua rica cultura. Ali, me parece, Kiarostami não quer saber pra que serve a arte mas sim por que entender e consumir arte de uma certa maneira. Ele parte do… Continue lendo Cópia Fiel

Breve Nota Sobre Arábia

Affonso Uchoa e João Dumans, 2017 Texto escrito sob o calor da exibição de Arábia no Festival de Cinema de Brasília, em 2017, revi o filme tempos depois e outras considerações surgiram, mas não vou alterar nada neste texto: primeiro porque sinto nele uma certa energia, e ele é também quase uma fotografia daquele instante, a… Continue lendo Breve Nota Sobre Arábia

Certo Agora, Errado Antes

Hong Sang-soo, 2h 1m, 2015 Dividido em duas partes, o filme relata um mesmo encontro com dois desdobramentos distintos; mas as duas coisas dialogam de forma a expandir as ideias secretas do autor do filme, dando algumas pistas sobre as potencialidades dos encontros sob a tutela das nossas emoções e intenções, forjadas por um jogo… Continue lendo Certo Agora, Errado Antes

Rashomon e a Descoberta do Cinema

Photo by Daiei/Kobal/REX/Shutterstock (5882085q) Masayuki Mori, Toshiro Mifune Rashomon - 1951 Director: Akira Kurosawa Daiei JAPAN Scene Still Minha família conseguiu um vídeo cassete ali pelo início dos anos 2000, época do boom de locadoras nas periferias, sinais de que algo na economia estava mudando. Com o recente poder de locação podíamos escolher e experimentar… Continue lendo Rashomon e a Descoberta do Cinema

Estamira

Estamira, Marcos Prado, 2001 Obs.: primeiro texto que escrevi sobre um filme: texto encomendado pelo meu amigo Cid Nader, que descanse em paz. Eu praticava a escrita sobre filmes em diários, blocos de anotações, mas nada tão sério. Quando o Cid me pediu o texto, tremi. Por isso há todo um contorcionismo nele: um contorcionismo que… Continue lendo Estamira