O Velho Do Caixa

Três da tarde. Sinal vermelho. Motocicletas forçando espaços por entre os carros. Alguém solta um palavrão. Outro buzina.  Dali da pastelaria se vê todo tipo de confusão entre motos e carros o tempo inteiro, e é bem ali , na fachada dessa típica pastelaria do centro da cidade que, carregando uma criança nos braços, uma… Continue lendo O Velho Do Caixa

Um Assassinato Qualquer

Um boteco é como uma zona livre, um espaço autônomo perdido nas entranhas da cidade: ideias irresponsáveis, casos fantásticos, personalidades em ebulição, e o companheirismo que parece se afirmar autêntico e livre das amarras da competição, e às vezes o oposto também, como uma guerra fugaz e furiosa, uma tempestade assustadora que de repente se… Continue lendo Um Assassinato Qualquer

Os Remanescentes

Moro bem ali, naquele prédio amarelo - disse enquanto lutava contra as imperfeições da pista. No meu andar quase todo mundo se foi... Pisou no acelerador tentando aproveitar o sinal amarelo. Somos três, os remanescentes. Eu, pra lá dos setenta; um outro, deve ter passado dos oitenta, um velho rabugento; e uma senhora, também com… Continue lendo Os Remanescentes